Institucional

A Sociedade Veteranos de 32 - MMDC foi fundada em 7 de julho de 1954, sob o nome de "Veteranos de 32 - MMDC", embora sendo uma sociedade dos participantes da Revolução Constitucionalista, a palavra "Sociedade" surgiu somente nos anos 60. 
A primeira reunião do MMDC ocorreu na Rua Luiz Coelho, na residência da Dra Carlota Pereira de Queiroz, médica que participou da Revolução e foi empossada em 1934 a primeira mulher Deputada Federal da História do Brasil, sendo um dos grandes momentos de nossa História e uma das vitórias do movimento constitucionalista.
O encontro, desta que fora a primeira reunião de nossa instituição, ocorreu às 21 horas e contou com a presença de dezenas combatentes, homens e mulheres,  entre eles, Hermann de Moraes Bastos, Hebert Levy, Mércio Prudente Corrêa, Joaquim Norberto de Toledo Júnior e muitos outros.

A reunião teve muitas pautas, entre elas, fundar uma instituição de combatentes de 32, discutir a política nacional e discutir sobre a participação dos veteranos no desfile cívico dos festejos do IV Centenário da Cidade de São Paulo, que ocorreria dalí há dois dias. 
Organizada a entidade de forma provisória, ela participa do desfile do IV Centenário e registra o surgimento desta irmandade que viria a ser uma das maiores, se não a maior, instituição cívica do Brasil. 
 
Deste modo, a Sociedade Veteranos de 32 - MMDC cresceu muito, aglutinou milhares de veteranos e combatentes da Revolução de 32, tendo em seu quadro de diretores e de associados, grandes nomes  de civis e militares que participaram da Revolução e de outros momentos da História do Brasil, além disso, teve ativa e ampla participação para a criação de datas oficiais do Estado de São Paulo, como o Dia da Juventude Constitucionalista, 23 de maio, e o sagrado dia da Revolução Constitucionalista, 9 de Julho.

Desenvolvendo-se durante os anos 60, criando núcleos por diversos municípios de São Paulo, erigindo monumentos, pleiteando marcos históricos alusivos a Revolução de 32 em diferentes partes do Estado e até sendo uma das administradoras e fiscalizadoras ao lado da Fundação Pró-Monumento ao Soldado Constitucionalista, do Monumento e Mausoléu ao Soldado Constitucionalista, que deste, por fim, receberia a própria escritura do monumento. 
Não há como negar, sem o MMDC a História do movimento constitucionalista teria um déficit brutal.

Hoje, a Sociedade Veteranos de 32 - MMDC mantém seu seu status de importantíssima guardiã da memória da Epopeia Constitucionalista, e é uma das altas instituições cívicas e culturais do Brasil, comemorando em 2020 os seus 66 anos de fundação de forma brilhante. 
Solenidade de 9 de julho de 1972 organizada pela Sociedade Veteranos de 32 – MMDC